FISL 14 - "We have to produce shit to be able to survive" (Tobias Andersson)


"A 14 anos, o Fórum Internacional Software Livre (FISL) aposta na colaboração e no compartilhamento do conhecimento como um caminho para a construção de uma sociedade mais justa" (Editorial, FISL 14).



Conversando com alguns amigos, vendo as palestras é evidente o quanto é fácil em um ano ou dois se distanciar do que está havendo no mundo. Meus últimos dois anos foi bem isso "baixar a cabeça e produzir, o resto não importa". Em um ano, dois, muita coisa muda, muitas tecnologias já foram superadas e outras aparecerem, já são padrão de mercado e você nem sabia que existiam.

Fora as coisas práticas, este FISL foi muito significativo em alguns pontos que merecem reflexão:

No painel de discussões, logo no primeiro dia do FISL, um dos fundadores do TPB, o Sueco Tobias Andersson disse: "We have to produce shit to be able to survive", quando no momento se discutia o quanto não é mais importante a qualidade, a durabilidade dos bens de consumo. As pessoas ganham pago para fazer coisas que não agregam a sociedade, e devem se sentir felizes com isso através de um salário sujo ao fim do mês.

Outro ponto central deste FISL foi Aaron Swartz, criador do padrão RSS (ainda quando criança), ativista político na área do direito ao acesso a informação. A palestra de Seth Schoen em especial foi emocionante. É raro ver um americano se esforçando para falar português, quando a maioria da plateia de sua palestra era perfeitamente capaz de entender em Inglês. Eis lições a não serem esquecidas em nosso dia a dia. Há muito o que fazer, precisa-se de pessoas esforçadas em todas as áreas.

Quantos outros já falaram, mas a gente vê quando experiencia. Exemplos disso para mim foram as palestras do Andreas Tille e do Italo Vignoli, o primeiro com o forte acento germânico e o segundo italiano em sua pronúncia, ambos porém perfeitamente compreensíveis; e ao fim é isso que importa, o valor das coisas é o valor das coisas e não o som mais ou menos perfeito quando elas são expressadas.

Falando em expressão, vi pessoalmente pela primeira vez na vida falantes de Esperanto. Uma das pessoas mais ativas nas comunidades, é gaúcho! Professor de letras aposentado da UFRGS. Baita motivação para seguir adiante!



Aspectos práticos:

- Sementes livres, monopólio da propriedade intelectual de coisas que não foram criadas. Esdudar mais sobre o projeto.
- Livro coptfight, ver projeto de tradução, ler livro.
- Framework para desenvolvimento de jogos para HTML5, MelonJS.
- Aprender Bootsrap com Less. Globo.com usa, não só eles, é padrão de mercado.
- Se eu quiser continuar na área de web, tenho que sair do iniciante e avançar em Django, WebPy e Ruby on Rails.
- Banco de dados não relacional, mais recomendado: MongoDB.
- Nova visão, padrão de desenvolvimento Web: AngularJS, Node.js, Express com banco Mongo.
- Estudar características do HTML 5, WebSockets, WebRTC, WebStorange;
- Da para empacotar em um .phar um projeto PHP todo, e entregar para o cliente como um .jar por exemplo.
- Em PHP, estudar Namespaces, Traits, composer e PSR`s.
- PHP Frameworks fortes no mercado: ZF2, Symfony, Laravel. Code Igniter caindo fora da jogada (Laravel passou por cima). Microframeworks em destaque: Silex, Slim e Respect.
-  Voltar a estudar C e C++, mais cedo ou mais tarde vou precisar mesmo disso. É a base da computação, precisa saber.

Para quem não pode estar no FISL, algumas palestras tem a gravação no site do FISL, no link "gravação".


2013-07-07 14:26:00
Este é o antigo Live Helton

Então, português é minha língua mãe, eu não tenho tanto a aprender quanto nos demais idiomas, assim este blog não discute aprendizado do idioma, e sim tópicos randômicos de interesse do dia a dia. Tecnologia, desenvolvimento, um pouco de reflexão crítica, enfim, uma bagunça bem como nossa mente é.
RSS Feed
"A vida é curta demais para ser pequena / The live is so short to be small / Das leben zu kurz sind für kleine sein". (Benjamin Disraeli)