Viagem para Freiburg, Alemanha em janeiro de 2015

Quanto tempo que eu não escrevo nada... acho que estou perdendo o hábito, ainda mais aqui na parte em português do site. Nos outros eu ainda de vez em quando faço algo, para exercitar, me obrigar a aprender vocabulário... enfim.


Mas estou aqui para contar alguns intempérios da minha viagem. A primeira que eu fiz foi ok, nada a ressaltar. Esta porém teve emoção na ida e na volta.


A ida foi de POA para São Paulo, e aí Paris, em Paris troquei de aeroporto, indo do Charles para o Orly de ônibus. Do Orly para Basel na Suiça, e de lá um outro ônibus até Freiburg. Chegando lá, cansado por demais peguei um taxi até o que seria meu novo endereço.


A emoção começou em Paris. Quando cheguei no Charles (CDG), passei a imigração e ia pegar minhas malas. Só que elas não chegaram lá. Aí quando na esteira trocou o vôo, dizendo que as malas que viriam já não eram mais as de SP, fui ver no atendimento da AirFrance como fazer. Ok, formulário, contato, endereço no Brasil, na Alemanha... e segue o baile. Considere que esse incidente me fez perder pelo menos 50min no segundo maior aeroporto de Europa. Estava com medo de não conseguir chegar no outro Aeroporto a tempo, mas deu... achei a saída, avistei o bus do transfer e corri. De ônibus foi uns 40minutos, acho então que o Orly é pelo menos 35km distante do CDG.


O motorista falou em francês comigo, eu não entendi, aí ele trocou para um inglês bem mal falado, explicou que o valor da passagem era diferente conforme minha idade. Enfim. No Orly fiz check-in e despachei Zero bagagens. Eu estava na finaleira antes de chegar, mas com a roupa do corpo que não era ok para o Frio da Alemanha, e na mochila meu notebook, carregadores e tal. Preocupado... mas segui, não tinha o que melhor fazer naquelas alturas. Cheguei em Basel na Suiça. Um friozão danado, eu estava batendo os dentes esperando na frete do aeroporto o bus até Freiburg.


Finalmente chegou. Em alemão pedi ao motorista se era mesmo este ônibus... ele respondeu em alemão, mas em Allemanisch, um dialeto da região que sério que eu entendi quase nada, pedi que ele repetisse, aí sim fez sentido. Ok! No bus estava bem, confortável embora la fora estava uma tempestade, chuva e chuva! Alguns Quilômetros a frete um sol lindo, e mais a frente neve! Uma hora de viagem e chegamos a Freiburg, na ZOB (estação rodoviária) que é no lado da estação ferroviária.


Avistei um taxi e fiz sinal que eu precisaria. Falamos em alemão...sem stress. Quase chegando ao endereço ele perguntou de onde eu era. Brasil, vou ficar aqui 3 semanas estudando. Era para ver a cara de "não acredito uma palavra que você diz" quando ele se deu conta que não tinha mala nenhuma. Mas não houve tempo e nem vontade de minha parte de explicar.


Cheguei na casa, 40 min depois do esperado. Obviamente não tinha mais ninguém me esperando, e eu sem as chaves, meu celular cagado não abria o skype para eu ligar para o Nro. do contato lá... Bati várias campainhas, até que ela veio. A Wendy, como uma doce anja, me levou até numa loja que estava aberta (afinal era um domingo a tarde) e comprei lá um SIM de uma telefônica alemã... botei crédito, 3gb de internet por mês... enfim. Liguei para o Nro., que ligou para o "Mister Preciosso", o italiano dono do apartamento que eu ia ficar. Aí na volta ao endereço ele estava lá me esperando. Ufa!!! Já tinha onde morar.


Bom, cheguei no domingo, minhas malas foram localizadas na quarta (cagada de TAM em SP), enviaram acho que quarta ainda, eu teria recebido sexta se eu tivesse em casa para assinar. Fiz o procedimento autorizando a entrega sem assinatura, e aí na segunda fizeram nova tentativa. Quando cheguei da aula, estava em casa minhas malas. Ufaa! A primeira semana foi tensa... gastei muita coisa que estava imprevista, pois eu contava que estaria com minhas coisas.


As aulas, as viagens, estadia tudo show! Emoção mesmo no retorno. Pra variar!


O retorno seria Freibrug para Basel de ônibus, Basel para Amsterdam, de lá para Rio e Janeiro, RJ para Porto Alegre. Chegaria as 00:30. Meu plano era dormir no aeroporto mesmo e cedinho as 5am pegar o trem até Novo Hamburgo. Só que não foi bem isso que aconteceu.


Saí do Black Forest Hostel em Freiburg as 3am, tinha acordado as 2:30... Taxi do hostel até a ZOB, e de lá bus até Basel. Ônibus exclusivo, estava só eu e o motorista, as 3:30 da manhã indo para Basel. Cheguei, aeroporto deserto... com bastante tempo e calma fiz check-in, despachei as malas. Show! Na sala de espera para embarque, toquei o SIM do celular, voltei o meu Vivo que uso no Brasil e assim que pegou o roaming chegou SMS da KLM: Lamentamos mas o seu vôo de AMS para GRU vai sair as 12:32 e não mais as 10:40. Tenso! Porque eu sabia que o tempo no RJ seria curto para pegar o último vôo da Gol do RJ para POA.


Eu disse curto, mas na verdade os 32min disponíveis com o atraso de 1:55h eram impossíveis. Ok, mudou também o gate de embarque em AMS, mas enfim voamos. Uma mulher passou mal logo no início do vôo. O piloto acelerou, o normal para aquele avião é voar a 850km/h, mas enquanto estávamos por cima da Europa ainda, estávamos colados em 1000km/h a maioria do tempo. Isso fez a previsão de chegada diminuir. Enfim era possível ainda, mesmo que na correria fazer o processo todo no RJ.


Mais alguém passou mal. estávamos todos estressados, pensando e angustiados como fazer no RJ, todos aqueles que o RJ não seria o destino final. Ao chegar sobre o oceano a velocidade foi reduzida, e com isso a previsão de chegada aumentou, assim como o stress. A 2h de chegar no RJ mais um homem passou mal.


Ao chegar no RJ estava com tempestade na região do aeroporto, o piloto anunciou que iria ficar sobrevoando uma área a 150km do aeroporto por mais 20min antes de aterrizar. Fodeu tudo!! Enfim aterrizamos. Foi anunciado que o aeroporto estava informado e que nos facilitariam o processo todo, e que as conexões iriam esperar. Foi um alívio. Mas ao desembarcar demoramos pra caramba, porque antes veio uma equipe médica para dar atenção aos que passaram mal (3 pessoas).


De fato no aeroporto do Rio foi tudo munto fácil e rápido, funcionários estavam por toda parte indicando "vôo KLM de Amsterdam, por aqui". Na imigração todo mundo passou reto, ninguém foi fiscalizado, muito rápido mesmo. As 22:10 estava eu para despachar as bagagens da Gol (que esperaria) no voo das 22:12. Só que não esperou. Check-in, despacho estavam fechados e a Gol decolou pontualmente pra POA as 22:12, sem ninguém vindo de AMS, pelo menos uns 15 passageiros.


A sequencia foi boa, porque a KLM pagou hotel, janta e café da manhã (hotel no aeroporto mesmo, muito prático). Se tivesse dado certo eu dormiria no chão no aeroporto de POA. Assim pude jantar bem tranquilo, comer um bife caprichado, dormir por 5:30h num hotel Top!


No outro dia, o vôo do RJ para POA foi tela TAM, as 8:20 da manhã. Sem qualquer problema. Enfim Porto Alegre! Ao meio dia estava em casa em Novo Hamburgo. Para chegar em casa mesmo, demorou 5h mais que o previsto.


Muitas emoções. É bom estar em casa de novo. Mas não por muito tempo!



2015-02-05 18:20:00
Este é o antigo Live Helton

Então, português é minha língua mãe, eu não tenho tanto a aprender quanto nos demais idiomas, assim este blog não discute aprendizado do idioma, e sim tópicos randômicos de interesse do dia a dia. Tecnologia, desenvolvimento, um pouco de reflexão crítica, enfim, uma bagunça bem como nossa mente é.
RSS Feed
"A vida é curta demais para ser pequena / The live is so short to be small / Das leben zu kurz sind für kleine sein". (Benjamin Disraeli)