Mudando o ambiente de TI quase todo para Linux. Notas de quase 10 meses após iniciar o processo

Lembro de quando cheguei para o primeiro dia de trabalho na empresa. O chefe com uma cara bem troll dize "tem um presente aqui para tí já". Quando liguei o PC vi o Kubuntu carregando. Eu era o cobaia. Mas a escolha foi certa, eu de fato prefiro Linux a qualquer outro SO para trabalhar. Simplesmente consigo fazer mais.


O que eu não sabia era Java. Quer dizer, tinha tido apenas o problemas fáceis da faculdade em Java, nada de "mundo real, problemas reais" como os que você tem que resolver quando está trabalhando. E foi assim, pelo menos umas 2 semanas até estabilizar o sistema, pegar o jeito de como fazer as coisas, que configurações fazer, como rodar diversas versões do Java para poder testar os cenários dos clientes... 


Não tinha passado nem um mês já havia outros 3 colegas com as máquinas formatadas e rodando Ubuntu 12.04 na época. Eu também já tinha me cansado do KDE e havia posto minha distro preferida dos últimos 3 anos pelo menos: Elementary OS. Um dia desses precisei do TeamViewer. E pronto, cagou tudo. No outro dia não teve solução melhor a formatar.


Alguns colegas também tiveram problemas, principalmente os que usaram o Ubuntu 13.x ... pau direto. Um se aventurou no Fedora 20, outro instalou o Open Suse e continua com ele.... evangeliza ele que não tem melhor. Mas no geral mesmo todos ficaram com o Ubuntu 14.x, eu com Elementary e o colega aí com Open Suse.


As coisas agora estão bem estáveis, o pessoal já sabe como usar, dominam o básico e um pouco mais dos comandos do shell, são usuário que sabem usar o sistema. O SO não é mais problema, a produtividade voltou aos patamares esperados e está indo bem.


Ocorrem de vez em quando problemas quando consultores por exemplo mandam algum documento em docx ou outro formato despadrão, aí o LibreOffice não mostra direito as anotações, setinhas e tal. Mas sempre da para upar no MS Office 360 online e lá se exporta num PDF e está morta a cobra.


Eu tenho que dizer que estou feliz com a situação, quero dizer... a anos quero meu time 100% working with Linux, mas no meu -2 empregos atrás, consegui 2 colegas só. No meu emprego agora -1, fui eu só o tempo todo... embora tivesse outros interessados, o atropelo do dia a dia sem o apoio da chefia nunca deu a oportunidade de poder cai um pouco a produtividade, aprender e retomar a 100%. Na empresa atual esta chance e o desejo houve, só precisavam que um carinha que se sentisse mais confortável com Linux chegasse lá pedindo emprego, precisavam de uma segurança, uma escorra se tudo começasse a desabar.


Bom, nada desabou. Sim, no início eu andava bastante pela empresa ajudando os colegas, falando conceitualmente do problema, e como em Linux dava para resolver aquilo... ajudando a instalar programas, configurar, ressuscitar o ambiente gráfico numas atualizações quebradas do OpenGL ... Mas agora está beleza. Eles nem precisam mais de mim.


Que bom que eu aprendi um pouco de Java, e agora sou útil como programador mesmo, não só como um cobaia para um piloto que vai economizou um punhado em licenças de Windows e antivírus.


That is all folks. Join us now and share the software, You will be free hacker, you will be free.



2014-09-27 20:48:00
Este é o antigo Live Helton

Então, português é minha língua mãe, eu não tenho tanto a aprender quanto nos demais idiomas, assim este blog não discute aprendizado do idioma, e sim tópicos randômicos de interesse do dia a dia. Tecnologia, desenvolvimento, um pouco de reflexão crítica, enfim, uma bagunça bem como nossa mente é.
RSS Feed
"A vida é curta demais para ser pequena / The live is so short to be small / Das leben zu kurz sind für kleine sein". (Benjamin Disraeli)