[filosofia] - A evolução da filosofia econômica

Penso que valores fundamentais do sentido da palavra "humano" estão se perdendo. Se em tempos remotos o homem competia contra animais para assegurar sua sobrevivência, uma vez dominado-os passa a competir contra seus semelhantes, por puras questões de poder, não de sobrevivência.

A luta homem x homem parece ser causa de todos os avanços da humanidade, porque estão competindo iguais para iguais, e a única forma de sobresalencia é o real desenvolvimento do indivíduo em suas habilidades. E o conceito se amplia, o homem assume bandeiras e representa nações, e as nações querem ser mais poderosas que as outras.

A teologia e a filosofia vem tentando elucidar ao ser qual é sua essência, de onde veio, para onde vai, qual é sua missão, o porque das coisas. Tem-se neste momento uma divisão, a teologia busca no divino a explicação e o conforto, já a filosofia é fundamentalmente racional e busca através da ciências desenvolver explicações lógicas, mas é falha, porque é humana.

Em momentos em que a ciência não nos da respostas a teologia nos acolhe (idade média), quando vislumbramos domínio sobre o futuro as ciências nos guiam. Mas será que um ser humano é capaz realmente de ter conhecimento e com isso prever e dominar o futuro? A teologia diz que não.

Com a revolução industrial, pós obscuros tempos da idade média, houve de certa forma uma perda do senso fundamental de sobrevivência, o qual diz que devemos "trabalhar para sobreviver" (foi assim durante muito tempo), mas agora estamos "produzindo por produzir" no sentido que "produzir" é o objetivo e não sobreviver. Este ciclo se da cada vez mais rápido e está levando ao esgotamento dos recursos humanos e materiais.

Recursos humanos para o trabalho foram um grande problema para o desenvolvimento das nações, tanto que dizimaram povos (que julgavam impróprios para o trabalho) e importaram (escravizaram) outros, movendo e manipulando vidas como objetos substituíveis para suprir demandas operacionais.

Algumas definições de felicidade dizem que ela ocorre quando o homem não tem mais tensões a resolver, quando está satisfeito em suas necessidades básicas. No perspectiva atual não conseguimos desassociar o que é necessidade do que é objeto de representação de poder.

Os valores que buscamos são resquícios de um modelo em que a vida é um objeto manipulado pela ambição, em que família e amizades são secundários. O painel se configura como se o caos e a infelicidade de todos os povos fosse benéfico.

Apesar de parecer utópico (porque nunca conhecemos algo diferente do que vivemos) o modelo de colaboração mútua, de não luta e sim ajuda em alguns momentos da história e algumas situações da atualidade mostraram e mostram que é possível e promove um desenvolvimento sustentável e aliado do bem-estar humano.

Nós, acadêmicos de Sistemas de informação, uma das tantas veias da filosofia através das ciências, devemos mais do que pensar em computadores e sistemas, devemos perceber que tudo ao fim é atividade aplicada ao ser humano.
2009-08-24 11:50:00
Este é o antigo Live Helton

Então, português é minha língua mãe, eu não tenho tanto a aprender quanto nos demais idiomas, assim este blog não discute aprendizado do idioma, e sim tópicos randômicos de interesse do dia a dia. Tecnologia, desenvolvimento, um pouco de reflexão crítica, enfim, uma bagunça bem como nossa mente é.
RSS Feed
"A vida é curta demais para ser pequena / The live is so short to be small / Das leben zu kurz sind für kleine sein". (Benjamin Disraeli)